Fio Russo

Fio Russo

fiorusso

De que material é feito o Fio Russo?

Trata-se de um fio de polipropileno inabsorvível, não biodegradável, biocompatível e de forte resistência. Ou seja, ele não é absorvido, não provoca reação alérgica, não é rejeitado pelo organismo e resiste a grandes tensões. E são essas características que tornam o fio de sutura de polipropileno amplamente usado, há anos, nas mais diversas especialidades da clínica cirúrgica.

Quando o Fio Russo começou a ser utilizado?

Ele foi desenvolvido há cerca de cinco anos pelo pesquisador georgiano Dr. Marlen Sulamanidze, e foi introduzido em nosso país pelo cirurgião plástico e pesquisador Dr. Antonio E. Beramendi. O especialista brasileiro otimizou as características do fio e desenvolveu novas técnicas de implante que tornaram os resultados do lifting com Fio Russo ainda mais espetaculares.

Por que o Fio Russo ergue a pele do rosto?

A conjugação de três fatores garante o efeito lifting: 

Primeiro – O Fio Russo é dotado de uma dupla fileira de garrinhas (como anzóis) que corre em sentidos opostos e em direção do centro de fio. Quando a malha de fios é implantada na gordura superficial –jamais no músculo-, as garrinhas se prendem firmemente ao tecido gorduroso, esticando-o e ancorando-o. São essas garrinhas que fazem a diferença em relação ao fio de polipropileno comum para sutura cirúrgica interna, que é totalmente liso.
Segundo – Como a trajetória e a tração exercida pelas garrinhas do Fio Russo correm no sentido póstero-superior do rosto (para o alto e para os lados), os tecidos faciais são retesados na mesma direção. Por isso, a face volta a se erguer e a desafiar a gravidade.
Terceiro – A ação de elevação dos tecidos flácidos é ainda potencializada pela reação normal do organismo em querer expulsar todo corpo estranho que nele é introduzido. Além de formar uma capa protetora em torno do Fio Russo – ancorando-o firmemente ao tecido adiposo -, ao tentar expulsá-lo o próprio organismo vai erguendo ainda mais a região tratada. Assim, o fio se torna um ligamento de sustentação dos tecidos. E o resultado estético do lifting só tende a ganhar mais realce com o passar do tempo.

 

INDICAÇÕES & CONTRA – INDICAÇÕES

Quem pode se beneficiar do Fio Russo?

Embora não haja idade mínima, o procedimento de correção da flacidez facial com Fio Russo é indicado para 

  • Pessoas na faixa dos 35-45 anos. 
  • “Refrescar” um lifting cirúrgico tradicional. 
  • Quem não pode se submeter a lifting tradicional. 
  • Os idosos e diabéticos. 
  • Todos os tons de pele – clara, morena, negra, já que o procedimento não provoca cicatriz.

 

A quem a técnica é contra-indicada?

O implante de Fio Russo não é recomendado a pessoas com excesso de gordura facial ou com tecidos faciais muito flácidos. Para esses casos, as indicações são o lifting cirúrgico e a ritidoplastia.

 

AGORA, VOCÊ VAI SABER TUDO SOBRE
A TÉCNICA DE IMPLANTE DOS FIOS RUSSOS

 

A técnica de implante dos Fios Russos é dolorosa?

Não. Os trajetos por onde correrão os Fios Russos (linhas tracejadas, nas ilustrações) recebem solução anestésica local. Assim, o paciente não sente desconforto quando a cânula percorre o trajeto de implante, nem quando o fio é implantado.

Quantos fios são necessários e qual a duração do procedimento?


A duração do procedimento vai depender do número de fios a serem implantados. A grande vantagem do lifting com Fio Russo é que ele pode refrescar apenas as zonas que envelheceram acentuadamente, como mostrado nas ilustrações abaixo. Assim, cada face recebe, por área de tratamento, o seguinte número de fios:

  • Terço Superior – Lifting do arco e da cauda das sobrancelhas (2 fios). 
  • Terço Médio – Lifting e harmonização do centro da face (3 fios). 
  • Terço Inferior – Lifting e restauração da linha da mandíbula (3 fios). 
  • Pescoço – Lifting do tecido frouxo e redução da papada (2 a 4 fios). 

Um lifting completo incluindo o pescoço exige de 8 a 12 fios, e o procedimento tem duração máxima de 60 minutos.

 

Onde o fio é implantado? Pode ficar visível ou ser sentido ao toque?

O Fio Russo é implantado na camada superficial do tecido adiposo facial, não atingindo o tecido muscular. Alojado na camada de gordura, o fio não causa elevações ou depressões na superfície da face, não sendo detectado a olho nu, nem sentido ao toque. Não se pode identificar quem fez o procedimento.

O Fio Russo também corrige as pálpebras flácidas e as bolsas de gordura sob os olhos?

Não. Mas é comum que durante o procedimento de implante de Fios Russos também sejam feitas tais correções cirúrgicas para se obter uma melhor harmonização da face.

O Fio Russo corrige o bigode-chinês?

Para tratar o rosto vincado pelo sulco nasogeniano (bigode-chinês), o cirurgião recorre à técnica de ressecção subcutânea com Fio de Aço. Esse fio descola da camada profunda da derme a área superficial do bigode-chinês. Assim, a pele do entorno do sulco fica livre para ser erguida no lifting com Fios Russos. 


À semelhança da técnica de implante do Fio Russo (polipropileno com garras), a ressecção com Fio de Aço é procedimento indolor, sem corte ou sangramento, e realizado em poucos minutos. Esta técnica também é usada para liberar rugas profundas da testa.

Podem ocorrer edema, hematoma e problemas de cicatrização?


Não, pelas seguintes razões:

  • Cicatriz – O implante do Fio Russo dispensa o bisturi e, portanto não há corte dos tecidos moles ou rompimento de vasos. Os pontos de entrada e de saída da cânula-guia na pele se fecham imediatamente, sem deixar vestígios. Por isso, o lifting com Fio Russo é indicado para todos os tons de pele (clara, morena, negra). 
  • Edema, hematoma,sangramento – A cânula para implantes do fio de polipropileno perfura a pele como uma agulha de injeção. Por isso, o sangramento é inexpressivo, o que evita o risco de hematoma (manchas roxas) e de edema (inchaço). Em pacientes com fragilidade capilar poderão ocorrer discretos edemas ou hematomas, que desaparecem na primeira semana pós-implante.

 

Há risco de infecção?

Este risco é quase inexistente devido aos cuidados de assepsia no procedimento cirúrgico. E para total tranqüilidade, geralmente o cirurgião receita antibiótico e antiinflamatório por cinco dias.

O implante pode lesar algum nervo facial?

Como o implante é superficial, nenhum nervo importante corre o risco de ser atingido durante o procedimento. Embora raro, algum fio na vizinhança de filete nervoso secundário pode provocar ligeira sensibilidade. Em geral, tal sensibilidade desaparece no decorrer da primeira semana pós-procedimento.

Há perigo de ocorrer assimetria ou de o volume facial ficar irregular?

O procedimento de implante da malha de Fio Russo é realizado segundo os vetores anatômicos de sustentação dos tecidos do rosto, através da marcação espelhada em cada face dos trajetos dos fios. Desta forma, evita-se o risco de assimetria. 

Há casos em que as bolsas de gordura erguidas pelo Fio Russo ficam um pouco proeminentes nos primeiros 15 dias. Isso é normal, pois os tecidos precisam deste período para se distribuírem uniforme e harmonicamente pela região tratada.

A pele pode ficar enrugada?

Não. A pele se acomoda naturalmente à elevação da camada de gordura, sem gerar dobras ou rugas. 

PÓS-OPERATÓRIO

Quanto tempo terei de ficar em casa, em reclusão?

O lifting com Fios Russos livra o paciente de um pós-operatório doloroso e de semanas de reclusão forçada. Ao término do procedimento o rosto recebe uma máscara de contensão de fita micropore, que objetiva impedir ginástica facial excessiva durante dois dias. Mas, se o paciente precisar, pode sair direto para sua atividade profissional sem máscara, desde que evite rir e falar em demasia.

Há médicos que recomendam hidratantes e creme up-lifting no pós-operatório. Qual a razão?

Como o implante estimula a produção de colágeno e de elastina, melhora a circulação e potencializa a nutrição dos tecidos faciais, a pele volta a ganhar viço e frescor, especialmente nos trajetos percorridos pela malha de Fios Russos. É para uniformizar a textura e a coloração da pele remoçada que se recomenda o uso de cremes com elementos esfoliantes, clareadores e hidratantes. O rosto mais jovem recupera, assim, uma pele também mais jovem.

É verdade que o resultado do lifting com Fio Russo é imediato?

Ao se levantar da mesa de procedimento, o paciente já pode ver os resultados: o rosto livre do peso de muitos e muitos anos. O incômodo cirúrgico é mínimo e os tecidos faciais erguidos pelos ligamentos de sustentação dos fios de polipropileno voltam a ganhar o contorno e o volume há muito desaparecidos. Quanto mais o tempo passa, mais o resultado positivo se acentua.

O lifting com Fio Russo é, então, permanente?

À medida que a idade avança, o tempo continua a provocar usuras em nosso organismo. Por isso, nenhuma técnica de rejuvenescimento estético pode garantir resultados permanentes e definitivos. 

A longevidade dos benefícios conquistados o lifting com Fio Russo varia em função das características biológicas individuais e do gerenciamento dos fatores de envelhecimento externos (exposição solar, efeito sanfona de regimes de emagrecimento, cigarro …).
No entanto, caso alguma região volte a “desabar”, novos Fios Russos de sustentação podem ser implantados em minicorreções de efeitos ainda mais sutil e naturais.


EMBORA SIMPLES E AMBULATORIAL, O PROCEDIMENTO DE IMPLANTE DE FIOS RUSSOS EXIGE A COMPETÊNCIA DE ESPECIALISTA EM CIRURGIA.